quinta-feira, 21 de maio de 2015

ACUPUNTURA E FLORAIS DE BACH



O britânico Jeremy Ross, um dos pioneiros da Medicina Chinesa na Europa e Estados Unidos, escreve sobre Os Dez Tipos de Personalidades no livro Combinações dos Pontos de Acupuntura (Roca, 2003), onde os classifica na teoria dos Cinco Elementos, baseado em sua larga experiência clínica.
 Cada elemento - Fogo, Terra, Metal, Água e Madeira - tem relação com um órgão e com emoções e características pessoais. O elemento Fogo com o Coração, euforia e entusiasmo excessivo. A Terra está conectada ao Baço e com preocupação excessiva. Metal está ligado ao Pulmão e aos sentimentos de pesar, tristeza e mágoa. A Água é o elemento dos Rins, ligado aos medos. A Madeira tem relação com o Fígado, raiva e agressividade.
Ross descreve os tipos Yin e Yang de cada elemento e propõe combinações de pontos específicos para “equilibrar os padrões negativos e desenvolver suas habilidades”. Em cada Tipo descrito, encontra-se correlação com as Essências Florais de Bach, sistema desenvolvido pelo médico inglês Dr. Edward Bach, em meados dos anos 1930. Veja a seguir os Cinco Tipos YANG, na descrição de Ross e a essência Floral de Bach correspondente!
Tipo FOGO Yang – “grande habilidade de inspirar e encorajar pessoas, mas precisam aprender quando parar. É fogo que queima intensamente, sem adequado controle. Tende à atividade incessante e ao entusiasmo excessivo, com verborreia”, diz Ross. O Floral Vervain: “laborioso e sempre em atividade. Entusiastas, defendem com veemência seus ideais; podem se tornar dogmáticos, exercendo muita pressão nos demais. Incapazes de relaxar, vivem em estado de grande tensão”.
Tipo TERRA Yang – para Ross, “esse tipo pode usar a solicitude para prender os outros, controlar e restringir suas vidas; apegado, possessivo e intrometido na vida alheia”. O floral Chicory é para: “pessoas amáveis e gentis, tendência a superproteção, tornando-se controladoras excessivas, sufocando as pessoas. Apegados, egoístas e possessivos; tendem a cobrar e exigir em troca”.
Tipo METAL Yang – para Ross “são tipos que não querem se livrar de suas mágoas, gostam de espalhar sua miséria. Agarram-se às amarguras, ressentimentos e lamentações”. O floral Willow: “pessoas amarguradas e ressentidas, acham difícil consideram o lado bom, perdoar e esquecer. Se sentem injustiçadas e vivem se lamentando”.
Tipo ÁGUA Yang – diz Ross: “ambicioso e cruel, sem consideração pelos outros; autoritário, procura segurança através de poder e dominação”. O Floral Vine: “dominadores, ambiciosos e determinados, opiniões firmes, pessoas duras e austeras. Podem chegar a ser tirânicos”.
Tipo MADEIRA Yang – “impaciente e irritado, intolerantes com os inseguros e lentos, sem consideração com as necessidades alheias. Tendem a ser agressivas, raivosas e até violentas”. Se poderia pensar nos Florais Impatiens e/ou Holly: o primeiro “para os inquietos, irritadiços e nervosos; impacientes e até rudes com pessoas lentas”.  O segundo “para os sentimentos de raiva, ódio, mais explosivos e revoltados”.
“A maioria das doenças da sociedade moderna resulta da falta de contato com as energias do espírito. Para superar os padrões negativos como a raiva, a intolerância ou o medo do fracasso não se deve lutar contra eles; e sim, colocar maior energia nos padrões positivos que os devem substituir”, afirma Ross. “O que conhecemos como doença são os resultados prejudiciais de “defeitos” tais como orgulho, crueldade, medo, ódio, ignorância ou ambição, que se precipitam no corpo. A cura da doença não se dá lutando contra o errado, mas permitindo que a virtude oposta inunde nosso ser e ilumine a falha de nossa natureza”, diz Bach.


Kátia Carvalho Abreu, médica, terapeuta floral com Registro no Bach Centre, Inglaterra BZP 1117-D, instrutora do Instituto Bach do Brasil, desde 1998 e acupunturista. Centro Terapêutico  Por Dentro do Ser.

Nenhum comentário: